[recent]

12 de março de 2017

Ida à escola: Como lidar?


Oi, pessoal! Como vocês sabem, o Marcelinho está hoje com 1 ano e 8 meses, no entanto, ele é ultra agarrado a mim, solicita a minha presença o tempo todo e vive no meu colo, simplesmente não quer andar no chão quando estou próxima; e se não estou (o que é raro), pergunta por mim todo o tempo.
Ele não tem na família nenhuma criança na idade dele, nenhum vizinho com filhos e nem meus amigos  que convivo mais ainda têm filhos.
O que eu quero dizer é que ele não tem contato com outras crianças, apenas adultos todos os dias. Quando vamos a alguma festinha, somente se incentivarmos muito e com a nossa presença, ele aceita tentar interagir com outras crianças, até se entrosa, mas o tempo todo nos buscando com o olhar.
Marcelinho tem problemas com o sono - dorme pouquíssimo e não curte dormir - é extremamente agitado em casa e enjoado na rua. Acreditamos que ele tenha muita energia acumulada.
Inicialmente pensamos em colocá-lo na natação, somente; no entanto, eu estaria presente o tempo todo, e não seria essa a intenção, mas sim de ele interagir melhor com outras crianças e estimular sua independência, não que ele precise ser totalmente independente, a questão é que acho que ele pode sofrer demais a minha ausência caso eu retorne ao mercado de trabalho, por exemplo, por isso, quero muito que ele consiga se adaptar às situações mais adversas antes que ela possam acontecer. Entendam que quero muito estar presente na vida dele nas suas conquistas e derrotas, quero ser seu pilar e estar sempre disponível para quando ele necessite, mas como mãe, quero muito evitar que ele sofra e tenha que aprender certas coisas na marra, na dor.
Estava tudo previsto para que ele fosse frequentar escola no início do ano que vem, mas conversando com a pediatra, começamos a sentir essa necessidade já.
Diante disso começamos a pesquisar creches escolas no nosso bairro, já visitamos algumas e estamos tendenciosos a uma. Mas e o coração, como fica? O meu está apertado, embora eu saiba que é o melhor para ele, embora saiba que todos começam um dia, que é normal, que a vida é assim mesmo, que ele não é mais um bebezinho completamente dependente de mim, não mais.
É normal se sentir assim? Por que tanta culpa? Vou me sentir muito mal deixando ele sozinho, mesmo sabendo que ele estará seguro!
Alguém que já tenha passado por isso, tem algo para dizer? Deixe seu comentário! Aí me ajuda, ajuda outras pessoas e a gente cria uma rede de apoio! Que tal?
Fiquem com Deus e muita sorte para nós.
Obrigada!
Beijos!
2 comentários
Compartilhe:
Thais Pinheiro
Thais Pinheiro

Thais Moura, 30 anos, carioca, bacharel em Direito e blogueira social media, mãe em tempo integral do Marcelinho.

2 comentários:

  1. É difícil mesmo deixarmos eles sozinhos(com outras pessoas), ainda mais quando eles são tão apegados as mães. Meu primo caçula é assim, não consegue ficar muito tempo distante da mãe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito complicado! E nem todo mundo entende! :/ Beijos, querida!

      Excluir